quarta-feira, 18 de abril de 2007

CRISE NO PAGANISMO

Crise no Paganismo.
                                                                  
                                                                    
O Bruxo (a) da atualidade, na sua maioria, está às voltas com os ilusórios progressos da nossa chamada civilização tecnológica, imerso em um borbulhante turbilhão de coisas materiais que lhe toldam a mente, dificultando a verdadeira percepção, vive unicamente em função das futilidades que lhe são impostas pela vida cotidiana das grandes cidades.
Sem que haja tempo para sentir, vivenciar e principalmente estudar as maravilhas da criação, a Grande Arte da Magia, da qual é parte integrante, já que fez a opção de seguir a Velha Religião.
Sua própria existência neste pequeno planeta é um dos maiores mistérios que o envolve.Quem são realmente seus ancestrais?
Que representam então todos os espantosos sinais que se apresentam, agora mais do que nunca, cada vez mais insistentes?
Será que virou moda mesmo se vestir de preto, usar pentagrama e falar da Deusa?
Qual o elo incontestável que liga o passado ao presente? O Bruxo (a) contemplativo sente hoje bem no fundo de si, que certamente falta ALGO; algo que por sua vez necessita de uma resposta que no entanto, jamais será encontrada nos livros de Bruxaria.
O mistério da Grande Arte da Magia está no treinamento adequado, no sentir, no perceber as leis que regem o universo. O mistério está sempre ao nosso lado, aquele cujas portas e janelas acham interditas há milênios, mas que contudo, lentamente, começa a descerrar suas empoeiradas mas fiéis cortinas.
A ignorância leva a pisar em terrenos pantanosos, perigosos e por vezes extremamente movediços.
Enquanto a Bruxaria for vista simplesmente como uma religião sedutora, com receitinhas para todos os males, cheia de simpatias, a superficialidade e os conflitos promovidos pelo ego será a tônica deste contexto.
A verdadeira consciência do Bruxo (a) é o conhecimento das leis que regem a passagem da causa para o efeito, do espiritual para o temporal.
É prioritário que o iniciado feche os ouvidos para á voz do mundo, para poder conhecer o coração do mundo.
Muitos são os anos de preparação e treinamento para poder atingir o estado de consciência em que o oculto seja revelado e a visão esclarecida. A consciência não é limitada pelo tempo, espaço ou lugar.
A Bruxaria deve ser para o verdadeiro Bruxo (a) como: Luz viva, a que atrai seus seguidores devotos, não uma luz que queima. É semelhante á Luz proveniente de uma pedra preciosa, brilhante, porém branda, fria e calmante. Dá paz e alegria.
Abençoados sejam!
Graça Azevedo / Senhora Telucama.
Suma Sacerdotisa do templo Casa Telucama.

                                    

Um comentário:

aila disse...

Mãe

Obrigada por tapar meus ouvidos à voz do mundo....e abrir meus olhos para o coração....
Com amor...

Aila